Os números de 2010

Os duendes das estatísticas do WordPress.com analisaram o desempenho deste blog em 2010 e apresentam-lhe aqui um resumo de alto nível da saúde do seu blog:

Healthy blog!

O Blog-Health-o-Meter™ indica: Minty-Fresh™.

Números apetitosos

Featured image

Um duende das estatísticas pintou esta imagem abstracta, com base nos seus dados.

Um Boeing 747-400 transporta 416 passageiros. Este blog foi visitado cerca de 1,400 vezes em 2010. Ou seja, cerca de 3 747s cheios.

 

Em 2010, escreveu 14 novo artigo, aumentando o arquivo total do seu blog para 48 artigos.

The busiest day of the year was 29 de Março with 24 views. The most popular post that day was O Dialecto Setubalense .

De onde vieram?

Os sites que mais tráfego lhe enviaram em 2010 foram facebook.com, ovelhaperdida.wordpress.com, search.conduit.com, pt.wordpress.com e mailbeta.libero.it

Alguns visitantes vieram dos motores de busca, sobretudo por dicionario setubalense, dialecto setubalense, sotaque de setubal, falar setubalense e polvo que adivinha

Atracções em 2010

Estes são os artigos e páginas mais visitados em 2010.

1

O Dialecto Setubalense Setembro, 2009

2

Dicionário setubalense Setembro, 2009
3 comentários

3

Textos bocageanos Setembro, 2009

4

Faça sexo, dizem eles… Janeiro, 2010
1 comentário

5

Contributo para um dicionário do falar setubalense Setembro, 2009

Anúncios

“Também fui lá e gostei”

Diz o meu amigo e confrade João Tomaz Parreira, no Facebook, a propósito deste blog:

Também fui lá e gostei. Sadino promete dar labor aos críticos do seu «progenitor» Bocage, com a vantagem de não estar «sob mui perigosa enfermidade».

“Este sadino é dos tais”

O meu amigo Manuel Adriano Rodrigues, “padrinho” deste blog, enviou-me as seguintes quadras, a propósito, que agradeço, reconhecido:

Este Sadino é dos tais
Que com quase toda a certeza
Vai ficar para os anais
Devido à sua esperteza

É astuto e inteligente
O Sadino que é Manuel
Vou ficar muito contente
Com a sua voz fiel

Agora o Sado já tem
Um poeta sim senhor
Para falar com desdém
Do rico, sr. doutor

Não vai ser nada indulgente
O poeta que é Sadino
Se querem saber, lá prá frente
Perguntem ao Brissos Lino.

Manuel Adriano Rodrigues