O chefe dos palhaços

Bozo

 

 

 

Houve um cronista do reino

juntamente com arroto

que respondeu sem pruridos

a um jornal de negócios

com jornalista maroto

 

perguntado por um bobo

a surgir na lusa cena

em jeito de previsão

disse o cronista convicto

já cá sofremos tal pena

 

e não temos um qualquer

é o chefe da canoa

o que trabalha há mais tempo

no circo da Lusitânia

e é porta-voz da patroa

 

e assim ele proclamou

o que soava em privado

mesmo sem nariz vermelho

não é palhaço quem quer

só quem faz disso o seu fado.

 

 

© Manuel Sadino

29/5/13

 

 

 

Ó Relvas, ó Relvas!

 
Letra para uma música de Paco Bandeira

 

 
Tenho no PSD traquejo
Bem dentro do aparelho
Sinto orgulho quando vejo
No poder o amigo Coelho

 

Uma malta da cidade
Diz que p’ra mim tudo é canja
Eu tenho grande vaidade
De ter nascido “laranja”

 

Tenho no PSD traquejo
Bem dentro do aparelho
Sinto orgulho quando vejo
No poder o amigo Coelho

 

Ó Relvas, ó Relvas
E Passos à vista
Todo eu sou artista
Estupor e maldade
Transporto no bolso
A universidade
A universidade.

 
Manuel Sadino
9/7/12

Baile de máscaras

Louçã é o pregador,
Jerónimo, o bailador
e Portas, o jogador

depois vem o cata-vento
– Passos, que é um tormento –
e Sócrates, que lamento

sem falar naqueles outros,
o Coelho da Madeira
e esse dos animais
fora os bonecos de feira.

Em Belém está uma esfinge
na Assembleia um Lorenin
mas pensando bem melhor
fiquemos já por aqui
p´ra pior já basta assim.

Manuel Sadino (3/6/11)